segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Vinhos orgânicos triplicam de volume e Millésime Bio cresce

Millésime Bio comemorará seus 25 anos em Montpellier, sua cidade preferida, depois de realizar a feira de 2017 em Marselha devido a um conflito de datas e interesses com Vinisud. Apesar dos bons números de Marselha nada melhor do que voltar ao seu “estádio” predileto, o Parque de Exposições de Montpellier. Este ano serão utilizados 3 halls para receber 950 expositores de 16 países e 5000 compradores. O evento acontece de 29 a 31 de janeiro. Conexão Francesa estará presente.
Os países que lideram esta que é a maior feira de vinhos orgânicos do mundo são França, Espanha e Itália. Lá 40% da oferta de vinho orgânico do mundo estará presente. Uma forte presença de compradores de países do norte da Europa é esperada, mas também de todos os países desenvolvidos onde o mercado de orgânicos está em franco crescimento. Cem expositores ficaram na lista de espera. O Brasil começa a ver de longe esta onda se formar...CONTINUE LENDO AQUI

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Ciência leva produção de vinhos para o agreste pernambucano

A degustação dos primeiros vinhos elaborados a partir de uvas colhidas em uma área experimental deixa o Agreste pernambucano no limiar de se constituir em uma nova região vinícola do País. Apreciadas em um evento que reuniu cerca de 70 pessoas na Chácara Vale das Colinas, em Garanhuns (PE), as garrafas que iam sendo esvaziadas eram, na expressão do bioquímico Milson Maurício de Macedo, um anúncio de “harmonizar” Garanhuns e uma nova possiblidade de desenvolvimento econômico e social.
A boa qualidade da bebida apresentada serve como indicador do potencial da região para a produção de vinhos finos, vocação que está sendo desenvolvida com o auxílio do trabalho científico. O evento fez parte de um projeto que reuniu pesquisadores e professores da Embrapa Semiárido, do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), com o objetivo de avaliar o comportamento agronômico, a qualidade da uva e implementar o processamento de vinhos em regiões vitivinícolas não tradicionais.
Para tanto, foram testadas dez variedades de uvas europeias, e, em pouco mais de três anos de pesquisa no campo, foi possível identificar as que melhor se adaptam às condições de solo e clima do local. Entre elas estão três brancas: Muscat Petit Grain, Sauvignon Blanc e Viognier; e três tintas: Malbec, Cabernet Sauvignon e Syrah...CONTINUE LENDO AQUI

domingo, 24 de dezembro de 2017

Tudo sobre Rosés. Avaliação de 108 rótulos do mercado brasileiro

Nos países de grande tradição vinícola, o vinho rosé é uma das bebidas mais consumidas no verão e há uma série de razões pra isso.
A sedução começa pelo formato de algumas de suas garrafas, em especial a de alguns produtores da Provence. A transparência de tais frascos permite que sejamos atraídos também pelas cores, em tons rosados que variam de um tênue laranja salmonado ao pink, passando por uma ampla gama de matizes. Muito convidativos , em sua grande maioria, delicados e despretensiosos, agradáveis e frescos e, finalmente, baratos, não ultrapassam a faixa dos 8 a 10 euros ou dos 15 dólares lá fora...CONTINUE LENDO

domingo, 17 de dezembro de 2017

O tamanho da taça de vinho estimula o alcoolismo?

Nos últimos 300 anos, as taças de vinho aumentaram sete vezes de tamanho, de uma capacidade média de 66 ml, no início dos anos 1700, para quase meio litro, hoje em dia.
Segundo um novo estudo, publicado na edição de Natal do periódico científico The BMJ, só entre 1960 e 1980 o volume das taças quadruplicou – uma mudança que pode ter incentivado um consumo do álcool muito além dos limites saudáveis...CONTINUE LENDO AQUI

sábado, 9 de dezembro de 2017

Vinhos regados de Histórias

SE OS VINHOS PRODUZIDOS NO SEMIÁRIDO NORDESTINO SÃO RECONHECIDOS E PREMIADOS, AS ORIGENS DESSA HISTÓRIA BEM-SUCEDIDA REMONTAM AOS TEMPOS IMPERIAIS, QUANDO DOM PEDRO II BUSCAVA CONHECER OS POTENCIAIS E AS SOLUÇÕES QUE O RIO SÃO FRANCISCO PODERIA PROPORCIONAR

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

3 boas razões para substituir a cerveja pelo vinho

cerveja é de longe a bebida alcoólica mais consumida no Brasil. Assim como o futebol, ela é também considerada paixão nacional. Mas, de uns tempos para cá, outra bebida tem roubado a cena e conquistado o paladar dos brasileiros: o vinho, seja ele tinto, branco, espumante ou até de mesa.

De acordo com os últimos dados divulgados pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), o Brasil ocupa a posição de número 20 no ranking global dos países com o maior consumo per capita da bebida. Por aqui, dois litros de vinho são consumidos por pessoa anualmente.

Outro dado interessante comprova o quanto a bebida vem se popularizando no quesito venda. Nos últimos cinco anos, a comercialização de vinhos finos e espumantes brasileiros e importados no mercado interno cresceu mais de 16%...CONTINUE LENDO AQUI

domingo, 29 de outubro de 2017

Brasil sai da pior para a maior produção de vinhos da história


Esta terça-feira (24) trouxe uma boa e uma má notícia para os apreciadores de vinhos. A produção global deve cair ao menor nível desde 1961, divulgou a Organização Internacional do Vinho (OIV), em Paris. Por outro lado, o Brasil terá forte crescimento.

Após amargar produção baixa em 2016, em 1,3 milhões de decalitros (mhl), a produção nacional deve chegar a 3,4 mhl, segundo o órgão internacional. Um hectolitro é o mesmo que 100 litros, ou 133 garrafas de 750 ml de vinho.
“Saímos da menor safra da história para a maior. No ano passado, tivemos quebra de 57% no Rio Grande do Sul, em função de geadas fora de época e granizos no período de maturação , quando foram processados 300 milhões de quilos de uvas. Em 2017, tivemos média acima do normal. Processamos 750 milhões de quilos, superando 2011, quando foram 710 milhões”, explica o diretor técnico do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), de Bento Gonçalves (RS), Leocir Bottega...CONTINUE LENDO AQUI

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...